segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

O Bandeirante de Hoje - Documentário

Esse "bandeirante é o Jeep, um dos grandes pioneiros da indústria automobilística nacional. O modelo é visto em todas as situações, do céu ao campo. Um momento especial do documentário é a inauguração da fábrica da Willys Overland pelo presidente JuscelinoKubitschek e o governador paulista Jânio Quadros.

Fonte: www.dana.com.br/historia

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Alguém tem uma ficha ai ?

Publicacao da TELESP - 1983.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

sábado, 25 de outubro de 2008

domingo, 12 de outubro de 2008

Seu Madruga é Rockeiro!

Seu Madruga, o cara que batia nos pagodeiros de roupa brega (Quico e Chaves), tinha tatuagem no braço, usava All Star, camiseta preta, calça jeans surrada, e compos um dos maiores clássicos do rock dos anos 70's: "seus olhinhos de noite serena".


sexta-feira, 10 de outubro de 2008

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Os ventos que as vezes tiram algo que amamos, são os mesmos que trazem algo que aprendemos a amar. Por isso não devemos chorar pelo que nos foi tirado,e sim, aprender a amar aquilo que nos foi dado. Pois tudo aquilo que é realmente nosso nunca se vai para sempre!

(Robert Nesta Marley- Bob Marley)

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

COBRA

Nos EUA há um roubo a cada 11 segundos
Um assalto à mão armada à cada 65 segundos
Um delito grave à cada 25 segundos
Um assassinato à cada 24 minutos
E 250 estupros por dia...
Stallone Cobra, o mestre na arte de ser foda, pela moral e pelos bons costumes! Com o seu Ford Mercury 51, seu indefectível palito no canto da boca, seu óculos Ray-Ban, e seus hábitos de vida saudáveis, ele caça meliantes imaturos, mantendo viva a tradição do Esquadrão Zumbi, "os últimos da lista", especializados em fazer serviços que ninguém mais quer fazer!
Suas frases de efeito já fazem parte do folclore moderno mundial, influenciando gerações após gerações, e seus hábitos de vida já fizeram muitas pessoas trocar o chiclete e a batata-frita com Ketchup por um bom prato de peixe com arroz, e com muito suco de ameixa pra beber.
Se vc encontrar com um louco na rua, não negocie: MATE!

terça-feira, 23 de setembro de 2008

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Kombi de Papel

Kombi de papel: http://bastelbogen-online.de/
É só baixar, imprimir e montar.











terça-feira, 5 de agosto de 2008

SENAI - Ary Torres - Por onde andam...

André, Bruno (Jonh Lenon), Carlos (Super Mouse), Erik, Alessandro, Carlos (Japones), Daniel, Carlos Eduardo (Bartin).

Raul Seixas - Plunct Plact Zum

terça-feira, 29 de julho de 2008

terça-feira, 15 de julho de 2008

terça-feira, 8 de julho de 2008

terça-feira, 24 de junho de 2008

sexta-feira, 20 de junho de 2008

terça-feira, 17 de junho de 2008

Queen - História

Queen foi uma banda de rock integrada por Freddie Mercury (vocal), Brian May (guitarra), Roger Taylor (bateria) e John Deacon (baixo). Foi uma das mais populares bandas inglesas dos anos 1970 e 1980, sendo precursora do rock tal como hoje o conhecemos, com magníficas produções dos seus concertos e videoclipes das suas canções. Mesmo nunca tendo sido levada a sério pelos críticos, que consideravam a sua música "comercial", a banda tornou-se a das mais famosas entre o público, graças à sua mistura única entre as complexas e elaboradas apresentações ao vivo e o dinamismo e carisma da sua estrela maior, o vocalista Freddie Mercury.
O início da banda remonta a
1967, quando Brian May, Tim Staffell e Roger Taylor formaram o trio Smile, no Imperial College em Londres, onde todos estudavam. Após a saída do baixista e vocalista do grupo, Tim Staffell, na Primavera de 1970, May e Taylor foram apresentados por Staffell a Farrokh Bulsara em Abril do mesmo ano, o qual viria a ser o vocalista da nova banda com o nome artístico Freddie Mercury, batizando a banda com o nome Queen. Em 1971, John Deacon completou a formação dos Queen como baixista.
.

Brian May e Roger Taylor tocavam numa banda chamada Smile, com o vocalista/baixista Tim Staffel. Freddie era colega de quarto de Tim e seguia assiduamente os concertos do grupo. A essa altura, Freddie era vocalista de outras bandas, como os Wreckage ou os Ibex. Para além disso, não tinha qualquer problema em partilhar as suas ideias acerca da direção musical que os Smile deviam tomar.
Tim decidiu então pôr fim à sua carreira nos Smile e juntou-se a uma banda chamada Humpty Bong. Freddie substituiu-o e o grupo começou à procura de um baixista profissional. O primeiro seria Barry Mitchell; só em
1971 o grupo descobriu John Deacon. Com a formação definida, o quarteto estava definitivamanete em marcha, possuidores de uma imagem inovadora, desfazendo regras musicais anteriores, compondo temas de absoluta originalidade, nada, ou bem pouco a ver com o resto do rock daqueles tempos.
.

O primeiro álbum da banda, intitulado Queen, foi lançado como uma revolução no Reino Unido, mas não teve o sucesso esperado. Este álbum caracterizou-se por um som pesado, misturando a banda à onda heavy metal que já existia na Inglaterra dó início da década de 1970. Deste álbum, destaca-se a faixa "Keep Yourself Alive", canção que conseguiu alcançar o Top 40 do Reino Unido.
O segundo álbum,
Queen II, já apresentava um som mais melódico, mostrando já a influência que Freddie viria a ter nas composições da banda. Aqui destaca-se a composição "Seven Seas of Rhye", primeira canção da banda a alcançar o Top 10 do Reino Unido.
A partir do terceiro álbum,
Sheer Heart Attack, a banda viria a ter os seus álbuns distribuídos pela Trident e EMI, ocasionando assim uma reviravolta na trajetória da banda. Lançado em 1974, o álbum foi o primeiro da banda a estar entre os 10 mais vendidos da Inglaterra, e tornou o Queen conhecido dos dois lados do Atlântico. A turné nos EUA foi um sucesso, o que abriu caminho para que a banda pudesse concretizar a sua obra-prima.
Em
1975, o Queen lançou o disco A Night at the Opera, também conhecido entre os fãs como o "White Album" da banda, numa alusão ao disco de mesma altura dos Beatles. Este disco, primeiro da banda a conseguir disco de platina, primeiro a vender mais de um milhão de cópias, primeiro a atingir o topo das paradas do Reino Unido e EUA, definiu um novo tipo de Rock: o rock arte, realizado como uma grande produção, para ser apreciado por todos os ouvidos. Usando uma técnica de retorno da voz, esse disco criou o som que se tornou marca registrada do Queen e o lançou para a fama. Suas canções refletem o espírito da banda: rock pesado com "I'm Love with My Car"; baladas românticas com "Love of My Life" (que foi apresentada por Mercury no Morumbi - São Paulo em 1981 da seguinte forma: "The things that we do for money." "As coisas que a gente faz por dinheiro.", e foi cantada por toda a multidão que presenciou esse show maravilhoso) e "You're my Best Friend"; experimentalismo com "The Prophet's Song", e uma canção impossível de se classificar, como "Bohemian Rhapsody". Esta Opera Rock, quando lançada em 1975, recebeu críticas por não ter apelo comercial e ser muito longa. No entanto, a gravadora bancou a apósta, e o resultado foi estrondoso: primeiro lugar das paradas durante nove semanas consecutivas, os quatro álbuns dos Queen entre os vinte mais vendidos, um video-clip que ficou conhecido mundialmente pela sua produção e a sua qualidade, iniciando a era do Video-clip e é considerada por muitos o maior classico da história do Rock n' Roll. Após esse álbum, a banda consolidou-se efetivamente como uma das grandes bandas de Rock, firmando terreno para mais e mais sucessos. Aqui, os seus membros (principalmente Mercury) já apresentavam suas excentricidades que ficariam mundialmente conhecidas. Curiosiamente, quando o álbum foi lançado em K7, a canção Bohemian Rhapsody, sua complexidade era tanta que neste ponto a fita ficava transparente; mais, esta canção sempre que era tocada ao vivo em um dos concertos dos Queen ou era como parte de um meddley ou colocavam uma gravação nas partes mais complexas.
Em
1976, o álbum seguinte, "A Day at the Races" (ambos uma ironia, por se tratarem de títulos de filmes dos Irmãos Marx), foi mais dirigido pela guitarra de Brian May e pela bateria de Roger Taylor, tendo, portanto, canções mais pesadas, tais como "Tie Your Mother Down" e "White Man". No entanto, aqui encontramos outra obra-prima vocalística de Freddie Mercury: "Somebody to Love", uma canção recheada de exageros vocais e complexas passagens vocais, que tornou-se exito imediato e que foi executada excepcionalmente em 1982, no Show Queen On Fire, mais conhecido como Live at the Bowl.
Em 1977, "News of The World" troxe os grandes hits dos estádios da banda, "We Will Rock You" e "We Are the Champions", além da belíssima "Spread Your Wings", composta pelo baixista John Deacon. O Queen, embora não tenha sido o primeiro a fazer grandes shows em estádios (mas sim os Beatles), se utilizou muito deles, fazendo shows marcantes (sobretudo se considerarmos que o som era feito exclusivamente pelos quatro integrantes, salvo ajudas de Spike Edney nos últimos shows), que criavam uma relação única com o público, sendo reconhecidos até mesmo pela crítica (alguns consideram os shows feitos pelo Queen em Wembley em 1986 como os melhores shows de rock de todos os tempos, sem falar no estrondoso público de 250 mil pessoas do Rock in Rio).
"Jazz", o álbum seguinte, de
1978, foi mal-recebido pela crítica, sob a alegação que o álbum pouco tem a ver com Jazz, apesar do instrumental acústico refinadíssimo e a alma nervosa e suave das canções - o que parece ser o motivo do nome, não suas semelhanças formais imediatas com o jazz (como acontecia por exemplo com os álbuns de Led Zeppelin, em que se pode dizer que este tom é muito mais evidente). Jazz também decepcionou a banda com relação à aceitação do público. Apesar disso, obteve alguns sucessos, como "Fat Bottomed Girls" e "Bycicle Race" (esta última, no Estádio de Wimbledon, teve como produção uma volta completa no estádio de dezenas de mulheres nuas em bicicletas, o que causou um certo choque na opinião pública).
Em
1979 lançam "Live Killers", um álbum duplo gravado ao vivo na sua turné mundial entre Janeiro e Abril. Brian May aparece espetacularmente em "Brighton Rock" chegando a ser mencionado por Eric Clapton como um dos melhores guitarristas no cenário do rock mundial.


O ano de 1980 marcou uma mudança no som da banda, até então sempre ressaltada nas capas dos seus discos com a frase "No Syntethizers!". Após o lançamento do álbum ao vivo "Live Killers", em 1979, os Queen lançaram o álbum "The Game", o qual demonstrava a intenção da banda em inserir na sua música a eletrônica. Este álbum foi um sucesso principalmente nos EUA, onde a canção "Another One Bites The Dust", com sua belíssima linha de baixo, alcançou o topo das paradas de rock, soul e disco. Além dessa canção, o rockabilly "Crazy Little Thing Called Love" tornou-se outro sucesso da banda.
Então, a banda lançou a trilha sonora do filme "
Flash Gordon", em 1980. Este disco, pela primeira vez, representou um grande fiasco da banda, não agradando tanto a crítica quanto os fãs.
Com sua popularidade reduzida na Europa, fortemente impactada pela onda
Punk que surgia no Reino Unido, o Queen passou a buscar novos mercados para seu som, iniciando visitas a países fora do eixo EUA-Europa-Japão. Pela primeira vez uma grande banda realizava turnês na América do Sul e África. Na sua primeira passagem pelo Brasil, em 1981, nos doze meses que antecederam o show as rádios de São Paulo só tocavam as canções dos Queen.
O lançamento do disco "Hot Space", em
1982, foi recebido com indiferença pelos fãs, que já não viam ali a mesma criativa e inovadora banda. Neste álbum, temos a primeira participação dos Queen com outro cantor, David Bowie, na faixa "Under Pressure".
Nessa época, já eram conhecidas as brigas e discussões dos integrantes da banda, com constantes idas e vindas, ameaças de saída, entre outros problemas. Essa década foi marcada pelos trabalhos solo dos integrantes do grupo, marcando assim uma maior distância entre os álbuns.
Após lançar "The Works", em 1984, o Queen teve no ano seguinte a sua redenção. Convidados a participar do Rock in Rio, verdadeira cidade do Rock construída no Rio de Janeiro, a banda roubou a cena dos espetáculos, tanto pelas excentricidades de seus integrantes quanto pela beleza de suas apresentações ao vivo, realizados para mais de 250 mil pessoas com a tranquilidade de um espetáculo caseiro.
Em
13 de Julho de 1985, o Queen mostrou a todo o mundo sua condição de Estrela do Rock, ao atrair todas as atenções para o show beneficente Live Aid, em prol das vítimas da fome na África.Essa Apresentação do Queen no Live Aid é para muitos críticos e fãs do Rock 'N Roll o maior show de Rock de todos os tempos. No mesmo ano foi criada a música One Vision que fez um bom succeso que passou em 1986 a abrir os shows do Queen.
Em
1986 a banda começou uma turnê de despedida chamada Magic Tour onde fizeram uma grande turne pela Europa em paises como Hungria,Reino Unido,Espanha,etc. Especula-se que Freddie tenha contraído AIDS naquele ano.
Neste mesmo ano a banda lançou o disco "A Kind of Magic", contendo a trilha sonora do filme "Highlander". Este disco trouxe os Queen de volta as paradas de sucesso, com canções bem melhor produzidas como "Who Wants To Live Forever", "Friends Will be Friends" e "A Kind of Magic".
Em
9 de Agosto de 1986 o Queen se apresentou pela última vez em público. Eles não conseguiram o Wembley novamente pois o estádio já estava reservado, então disseram ao empresário Roy Thomas Baker para arrumar qualquer outro lugar. Ele conseguiu agendar um show no Knebworth Park, que teve todos os ingressos vendidos em duas horas; mais de 140 mil fãs se espremeram no parque para vislumbrar o Queen ao vivo pela última vez.
No ano seguinte Freddie Mercury descobre que tem AIDS depois de uma consulta a um médico.Logo mais tarde diz sobre a noticia a
Jim Hutton(Seu Namorado e companheiro) e mais tarde á Roger Taylor.
Em 1989 a o Queen lança o disco "The Miracle", que ficou conhecido pela complexidade de sua capa, então um desafio para os níveis de computação gráfica da época.O Disco Trazia Grandes Sucessos Como: The Miracle,I Want It All,Scandal,Breakthru,etc.

Anos 1990

Em 1991 começaram a surgir rumores de que Freddie Mercury estava com AIDS. O cantor negou, mas sabendo da verdade (assim como seus companheiros de banda), ele decidiu gravar um álbum livre de conflitos e diferenças. Este álbum foi Innuendo. Embora sua saúde começasse a se deteriorar, Mercury esforçou-se para finalizar suas contribuições. Destacam-se as canções "The Show Must Go On" e "These Are The Days Of Our Lives".
Em 23 de Novembro de 1991, em uma declaração gravada em seu leito de morte, Freddie Mercury finalmente divulgou que tinha AIDS. Doze horas depois do anúncio, Mercury morreu vítima de uma broncopneumonia aos 45 anos de idade. Seu funeral foi privado, feito de acordo com os princípios religiosos zoroástricos de sua família.
Em
20 de Abril de 1992 o público dividiu a tristeza pela perda de Freddie no "The Freddie Mercury Tribute Concert", realizado no Estádio de Wembley de Londres em sua homenagem. Músicos como Annie Lennox, David Bowie, Def Leppard, Elton John, Extreme, Guns N' Roses, George Michael, Liza Minnelli, Metallica, Robert Plant, Roger Daltrey e Tony Iommi, juntamente com os integrantes remanescentes dos Queen, tocaram os maiores sucessos da banda.
Os Queen na verdade nunca se separaram, embora seu último álbum de inéditas tenha sido lançado em
1995, ironicamente intitulado Made In Heaven ("Feito No Paraíso"). Lançado quatro anos depois da morte de Freddie, foi feito a partir das últimas sessões gravadas pelo cantor em 1991, além de material descartado de álbuns anteriores. A banda, menos John Deacon (que saiu do grupo depois de gravar a faixa-tributo à Mercury "No One But You"), ainda reaparece de vez em quando, tocando um projeto chamado "We will Rock You - Queen+" com vários artistas.
Atualmente realizaram uma digressão que contou com uma passagem em Portugal, nomeadamente no Estádio do Restelo em Lisboa, com o músico
Paul Rodgers, ex-vocalista das bandas Free e Bad Company.
.

segunda-feira, 9 de junho de 2008

sexta-feira, 6 de junho de 2008

quarta-feira, 4 de junho de 2008

terça-feira, 3 de junho de 2008

Gang 90 e Absurdettes - Anos 80

Gang 90 é um grupo de rock brasileiro dos anos 80, fundado pelo disc jockey e jornalista Júlio Barroso.
Suas canções misturavam
new wave com viagens beatnik, e ainda carregava batidas fortes e coro feminino, inspirado no grupo B-52s.
Sua primeira aparição foi na discoteca
Paulicéia Desvairada em 1981. Participou do Festival MPB Shell do mesmo ano, com a música Convite ao Prazer, o que tornou o grupo famoso.


Em 1983, lançou o LP Essa tal de Gang 90 & as Absurdettes, que emplacou uma música como tema de novela das 8 da Rede Globo, Louco Amor, de Gilberto Braga.
No mesmo ano, também participaram do especial da
Rede Globo Plunct Plact Zum com a música "Será que o King Kong é Macaca"?
Júlio Barroso faleceu em 1984, caindo da janela de seu apartamento em São Paulo. Após isso, a tecladista Taciana Barros juntou outra formação e lançou mais dois álbuns.
Chegaram a participar de sua formação
Júlio Barroso, Alice Pink Pank, May East, Lonita Renaux (Denise Barroso), Luíza Maria, Wanderley Taffo, Guilherme Arantes, Lee Marcucci, Gigante Brasil, Herman Torres, Otávio Fialho, Luiz Paulo Simas, Taciana Barros, Beto Firmino, Gilvan Gomes, Paulo Le Petit, Curtis.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Gang_90_e_as_Absurdettes

sexta-feira, 30 de maio de 2008

terça-feira, 27 de maio de 2008

Incêndio no Edifício da CESP - 1987

O incêndio nos edifícios da CESP foi um famoso episódio ocorrido na noite de 21 de maio de 1987 e que perdurou até o final da tarde do dia seguinte.
O fogo iniciou-se por volta das 18h30 e atingiu praticamente todos andares dos Edifícios "Sede 1" e "Sede 2" da companhia, localizado na
Avenida Paulista, próximo à esquina desta com a Rua Augusta, ao lado do edifício do Banco Safra, sobre o Shopping Center 3 e defronte o Conjunto Nacional.
Durante o incêndio, a parte central do edifício "Sede 2" (que englobava o hall de elevadores) ruiu, desabando como se estivesse sendo implodida e matando um funcionário da empresa (a única vítima do acidente). O prédio acabou sendo dividido em duas partes distintas: uma bem próxima a calçada da Avenida Paulista e outra nos fundos. A parte da frente seria implodida dias depois, destruindo boa parte da estrutura do Center 3, que seria reconstruído. Por falta de recursos, o edifício "Sede 1" e o que restou do "Sede 2" seriam demolidos apenas cerca de 10 anos depois, tendo ficado durante todo este tempo como uma medonha ruína exposta no meio da famosa avenida. Segue as imagens da implosão (parte da frente) do Sede 2 (TV Globo).

A implosão foi executada pela empresa Construção, Desmonte e Implosão, do engenheiro Hugo Takahashi, implodiu a estrutura em 4 segundos, com 100 kg de dinamite.

Fontes: http://pt.wikipedia.org/wiki/Inc%C3%AAndio_no_edif%C3%ADcio_da_CESP

http://www.agperformance.com.br/paulista/historico.asp

domingo, 25 de maio de 2008

quarta-feira, 21 de maio de 2008

A Musa dos Anos 70...

Rose Di Primo surgiu como musa no início dos anos 70. Dona de um corpo escultural, faz parte de um time de mulheres tidas como naturais, sem plástica ou atributos artificiais, muito comum nos dias de hoje. Rose era natural também na cor, pois não dispensava um belo dia de sol.
Esta beldade surgiu na praia de copacabana em 1971, quando disputou um campeonato de "enrolar laterais do biquini" com outra moça, chamada Kika. De tanto querer chamar a atenção, Rose criou uma tanga de barbantinho e por este feito, ganhou destaque em diversas revistas nacionais e do exterior. Ela se considera a inventora da tanga.
Rose di Primo nasceu no dia 6 de março de 1955 em São Paulo. Iniciou a vida artística como modelo na década de 60, tornou-se símbolo sexual e atuou como atriz de cinema na década de 70. Atualmente é evangélica e mora no Rio de Janeiro.


Fonte

http://pt.wikipedia.org/wiki/Rose_de_Primo

http://www.recordando.net/blog/2008/05/musa-rose-di-primo.html

domingo, 18 de maio de 2008

sexta-feira, 16 de maio de 2008

O Sonho de um Fusca...

Só falta ele falar... pois ele tem sonhos...

quinta-feira, 15 de maio de 2008

terça-feira, 13 de maio de 2008

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Os Hippies

Os "hippies" (no singular, hippie) eram parte do que se convencionou chamar movimento de contracultura dos anos 60 tendo relativa queda de popularidade nos anos 70. Adotavam um modo de vida comunitário ou estilo de vida nômade, negavam o nacionalismo e a Guerra do Vietnã, abraçavam aspectos de religiões como o budismo, hinduismo, e/ou as religiões das culturas nativas norte-americanas e estavam em desacordo com valores tradicionais da classe média americana. Eles enxergavam o paternalismo governamental, as corporações industriais e os valores sociais tradicionais como parte de um "estabelecimento" único, e que não tinha legitimidade.
Características Associadas aos Hippies

- Roupas de cores brilhantes, e alguns estilos incomuns, (tais como calças boca-de-sino, camisas tingidas, roupas de inspiração indiana)

- Predileção por certos estilos de música, como rock psicodélico Rolling Stones, The Beatles, Grateful Dead, Jefferson Airplane, Janis Joplin, Jimi Hendrix, Led Zeppelin, The Doors, Pink Floyd, Bob Dylan, Raul Seixas, Mutantes, Zé Ramalho, e soft rock como Sonny & Cher; ou mais recentemente Phish, String Cheese Incident, the Black Crowes, ou a "trance music" de Goa;

- Às vezes tocar músicas nas casas de amigos ou em festas ao ar livre como na famosa "Human Be-In" de San Francisco, ou no Festival de Woodstock em 1969. Atualmente, há o chamado Burning Man Festival.

- Amor livre e sem distinções.

- Ideais anarquistas de comunidades igualitárias e total liberdade não violenta.

- Vida em comunidades onde todos os ditames do capitalismo são deixados de lado. Por exemplo, todos os moradores exercem uma função dentro da comunidade, as decisões são tomadas em conjunto, normalmente é praticada a agricultura de subsistência e o comércio entre os moradores é realizado através da troca. Existem comunidades hippies espalhadas no mundo inteiro;

- O incenso e meditação são parte integrante da cultura hippie pelo seu caráter simbólico e quase religiosos;

- Uso de drogas como marijuana (maconha), haxixe, e alucinógenos como o LSD e psilocibina (alcalóide extraído de um cogumelo). Porém muitos consideravam o cigarro feito de tabaco como prejudicial à saúde. O uso da maconha era exaltado mais por sua natureza iconoclasta e ilícita, do que por seus efeitos psico-farmacêuticos;

- Culto pelo prazer livre, seja ele físico, sexual, intelectual, ou tecnológico.

- Quanto à participação política, mostravam pouco interesse. Eram adeptos do pacifismo e, contrários à guerra do Vietnã, participaram de algumas manifestações anti-guerra dos anos 60, não todas, como se acredita. Ir contra qualquer tipo de manifestação política também faz parte da cultura hippie, que privilegia muito mais o bem estar da alma e do indivíduo.

- Fome intelectual insaciável. Costumam não serem muito adeptos a tecnologia, preferindo ficar em natureza.


quarta-feira, 7 de maio de 2008

Arqueobusófilo - Paixão por Ônibus!

Meu nome é Eduardo Rocha, tenho 44 anos e sou "arqueobusófilo" . Graças a internet descobri que não sou maluco sozinho!
Coleciono maquetes e a maioria das que possuo são de autoria do artesão Carlinhos Sebastião Coelho, de Belo Horizonte - MG.

Aqui estão algumas das imagens.




terça-feira, 6 de maio de 2008

Marina Lima - Virgem

Karmann Ghia - Um Clássico Nacional

O Karmann Ghia é um carro esportivo de dois lugares produzido pela Volkswagen, projetado pela empresa italiana Ghia, e construido pela empresa alemã Karmann. Cerca de 445 000 Karmann Ghias foram produzidos entre 1955 e 1974.

A década de 1950 representou um marco na história do automóvel, sendo a época da expansão e do crescimento de uma nova categoria de veículos diferenciados, sobretudo quanto ao aspecto estético - até então dominado pelos modelos grandes e robustos. A Volkswagen, apesar de já representar o restrito grupo dos fabricantes de carros pequenos, queria produzir um carro que representasse o impacto visual desta nova geração (além do seu já bem sucedido Fusca). Em busca deste carro, os executivos da VW procuraram a Karmann, que já participava da produção do Fusca Conversível.

O projeto inicial apresentado pela Karmann não agradou muito aos executivos da VW. Buscando satisfazer um cliente tão importante, a Karmann procurou ajuda em outras empresas especializadas - e foi então que Luigi Segre, responsável pelo renomado "carroziere" italiano Ghia, apresentou a Wilhelm Karmann um desenho recusado pela Chrysler. Aprovado por Heinrich Nordhoff, então presidente da VW, em 1955 o primeiro Volkswagen Karmann Ghia deixou a linha de montagem em Osnabruck como modelo 1956.

O sucesso conseguido pelo carro, bem como os planos de crescimento da empresa no Brasil, fez com que a VW resolvesse produzi-lo no Brasil em 1962. Neste ano as primeiras unidades e as opções de motorização acompanharam o mercado europeu. Em 1972 a Volkswagen do Brasil decidiu tirá-lo de linha, enquanto o modelo europeu ainda seria fabricado até 1974.

segunda-feira, 5 de maio de 2008

Profissão Perigo - MacGyver

Tem um fósforo? E... um clip de papel? Se não tiver nenhum dos dois, serve um chiclete, ou uma barra de chocolate.


Macgyver é o cara. Antigo agente das Forças Especiais do governo americano, O investigador passou a trabalhar para a Fundação Fênix, dedicada a combater o “caras maus” ao redor do mundo. Até aí, nada de diferente, certo? A trama podia ser de um episódio das panteras ou de uma brincadeira com o boneco Falcon. Ahá! Mas é aí que vem a grande sacada: o MacGyver conseguia combater o mal e mais um pouco sem usar... uma arma sequer!Com alguns apetrechos inocentes no fundo do bolso (como aqueles que você se esquece de tirar antes de mandar para a lavanderia) e bons conhecimentos de química e física, ele conseguia fabricar quase qualquer coisa. Com um clip, pronto! Ele fechava o circuito de um míssil nuclear. Vazamento de ácido? Ahá: é só usar uma barra de chocolate.

Profissão Perigo (ou MacGyver, o título original) começou a ser transmitida nos Estados Unidos em 1985, e durou até 1992. Foi uma das séries de maior sucesso dos anos 80. O personagem de Richard Dean Anderson era admirado pelos meninos, arrancava suspiros das mocinhas e de quebra virou um modelo de comportamento, elogiado por críticos, pais e professores.

O episódio de estréia da série, Missão Inicial, estreou no Brasil somente em 1986, no lugar de Viva O Gordo, no período de férias do Soares. Abaixo, os "truques" usados por MacGyver no episódio:

1. Desarma míssil com auxílio de um clipe;

2. Com um rifle, fósforos, elástico e galho de árvore, cria tiroteio "por controle remoto" para distrair o inimigo;

3. Amassa cano de uma pistola de sinalização para transformá-la em foguete de empuxo;

4. Torna raios laser visíveis com fumaça de cigarro;

5. Redireciona laser com lente de binóculo até raio atingir a própria fonte;

6. Ergue viga, dando nó em uma mangueira contra incêndios;

7. Detém vazamento de ácido fazendo-o reagir com dissacarídeos de chocolate (lactose e sacarose) para formar carbono elementar e resíduo grosso viscoso;

8. Cápsulas de remédio e sódio metálico são transformadas em pequena bomba.

Pois é, MacGyver é o cara.


Fonte: http://www.autobahn.com.br/dummies/macgyver.html


domingo, 4 de maio de 2008

Matéria sobre um mito da indústria automobilistica: SP1 / SP2

Whitesnake - Is this love

Essa música é demais!!!
(música velha! rs rs rs)

Fred - Esse é o cara !!


Nao é o Jeep que é feio e desconfortavel, é voce que é um chato!